Tiririca é acusado de abuso sexual; Mulher de deputado afirma ser chantagem

Ex-empregada de parlamentar prestou queixa e caso foi parar no Supremo Tribunal Federal

Por O Dia

O deputado federal Tiririca está sendo acusado de assédio sexual por sua ex-empregada, Maria Lúcia Gonçalves, de 41 anos. Na denúncia da doméstica, feita em março deste ano, Maria conta que estava trabalhando na casa do deputado, no ano passado, quando Tiririca começou a dizer frases obscenas enquanto a segurava por trás. Depois, o parlamentar teria desabotoado as calças e corrido pela casa perseguindo a empregada. Ainda segundo ela, a cena teria sido presenciada por Nana Magalhães, mulher de Tiririca, e pelos filhos do casal.

Tiririca e Nana MagalhãesReprodução Internet

Em junho, depois das acusações de Maria, Nana registrou um boletim de ocorrência contra a ex-empregada. No depoimento, ela alegou que o casal foi vítima de extorsão por parte de Maria Lúcia. No processo, Nana disse que contratou a empregada para prestar serviços domésticos em sua residência, mas demitiu Maria quatro meses após a contratação porque ela estaria fazendo uso de bebida alcóolica durante o trabalho. Insatisfeita com a demissão, Maria Lúcia teria então cobrado R$ 100 mil para não sujar a imagem do deputado.

Tiririca já prestou depoimento sobre o caso, que está nas mãos da ministra Carmen Lucia, presidente do Supremo Tribunal Federal. A coluna entrou em contato com a assessoria de Tiririca, que disse que não tem conhecimento do caso. O advogado do parlamentar também foi procurado, mas disse que não ia comentar o caso.